‚Üź Voltar

Tutorial Essencial de Shell de 15 Minutos ūüēí

Postado em
15 min de leitura

Shell

Shell

Pequena Introdução

H√° um momento em que at√© os usu√°rios mais iniciantes se deparam com o terminal. Ele tem muitos nomes: terminal, shell, console, ‚Äúprompt de comando‚ÄĚ, mesmo como uma transfer√™ncia daqueles familiarizados com o Windows. Muitas pessoas ficam assustadas com o terminal por algum motivo, ent√£o, este tutorial tentar√° fornecer os comandos mais b√°sicos para permitir a navega√ß√£o e as a√ß√Ķes b√°sicas do sistema a partir do conforto do seu teclado.

Antes de começar

  1. Lembrando que esse Tutorial é apenas para usuários de Linux! Vale lembrar também que a versão do seu Linux pode ser diferente! Aqui estou usando o bash do Linux Mint19 MATE version.
  2. Existem diversas maneiras de iniciar o seu terminal Linux, n√£o vou listar todas as op√ß√Ķes dispon√≠veis. Suponho que voc√™ possa encontr√°-lo no menu ou clicando com o bot√£o direito na √°rea de trabalho.
  3. Já Existe aqui no blog um post sobre 10 Fatos Sobre o Shell do Linux que vale apena você Ler também para aprender sobre o Shell do Linux.

Comandos

cd

cd -> Usado para navegar pelos diretórios. Você pode mover para qualquer local pelo caminho.

cd Isso o levará de volta para sua $HOME (pasta local do seu usuário), é o mesmo que cd ~

cd .. Isso levará de volta exatamente um diretório. Iniciar em /home/justin/Desktop, cd .. me colocará em /home/justin. E isso pode ser expandido, cd ../../ a partir da localização da Desktop, em vez disso, moverá-me 2 pastas para trás, da minha Desktop para /home. cd foldername/ Isto irá avançar para a pasta especificada na sua pasta atual. Tome nota do prefixo ausente / é uma omissão importante. se eu estiver em /home/justin e quiser acessar o Desktop, devo digitar cd Desktop/ sem o / antes do Desktop. Digitar / antes de nos colocar na raiz do sistema de arquivos, que está incorreto. cd /some/other/path Isso o levará ao caminho da pasta especificada, supondo que ele exista exatamente como digitado. Não esqueça a conclusão da guia! Leia Até o final!

ls

ls -> Usado para listar o conte√ļdo da pasta. Voc√™ pode ver muitos tipos de atributos de arquivo e pasta.

ls Por si s√≥, ls simplesmente lista todos os seus arquivos na pasta atual. ls -l Fornece um formato de listagem mais longo, incluindo propriet√°rios, permiss√Ķes, tamanho e data de modifica√ß√£o. ls -a Exibe arquivos e pastas ocultos, bem como a listagem normal. ls -al Combine op√ß√Ķes para exibir arquivos ocultos e no formato longo. ls -h Mostra os tamanhos dos arquivos em formato leg√≠vel por humanos (K, M, Gbyte) em vez de bytes. Voc√™ pode exibir arquivos em diret√≥rios em que voc√™ n√£o est√°. Se estou em /home/justin/Desktop e quero exibir um arquivo em /home/justin, posso fazer ls ../ listar arquivos de um diret√≥rio (e n√£o precisa voltar para fazer isso.)

cp

cp -> Copiar arquivos

cp file /path/to/folder Copia o arquivo ‚Äúfile‚ÄĚ do local atual ou especificado para o caminho especificado. cp -r folder /path/to/folder Copia recursivamente o conte√ļdo da pasta para outra pasta. cp *.extension /path/to/folder Copia os arquivos correspondentes √† extens√£o especificada para a nova pasta. Para copiar todos os arquivos .doc, ele se torna cp *.doc /path/to/folder e a pasta deve existir. cp name* /path/to/folder Copia todos os arquivos que come√ßam com nome ‚Äėname‚Äô na pasta especificada. Para copiar todos os arquivos come√ßando com example, ele se torna cp example* /path/to/folder e a pasta deve existir.

mv

mv -> Mover arquivos

A sintaxe de mv √© semelhante ao exemplo acima. Vale lembrar que o mv n√£o aceita o sinalizador -r, pois a movimenta√ß√£o de uma pasta tamb√©m move seu conte√ļdo. A sintaxe n√£o √© exata em todas as inst√Ęncias, mas funciona com os exemplos acima. Consulte suas p√°ginas de manual original do bash para mais detalhes.

rm

rm -> Remover arquivos

Para todos os efeitos, a remo√ß√£o de arquivos via rm √© permanente. Ele n√£o usa a lixeira. Use com cuidado e verifique se voc√™ est√° excluindo explicitamente o que deseja, n√£o o que pensa que deseja. arquivo rm Remova o arquivo especificado do sistema. pasta rm -r Remova a pasta especificada do sistema; pasta rm -rf Remove a pasta especificada com for√ßa do sistema. Este comando pode danificar severamente sua configura√ß√£o se usado incorretamente, pois n√£o evitar√° que algo cr√≠tico esteja sendo exclu√≠do. Se voc√™ precisar usar isso, as chances s√£o de que algo mais est√° quebrado ou ocorreu um erro. Isso deve ser usado apenas como um m√©todo absoluto de √ļltimo recurso e n√£o √© recomendado.

nano

nano -> editor de texto completo da linha de comando

Pode-se editar arquivos usando o nano em um terminal para fazer arquivos r√°pidos e sujos at√© configura√ß√Ķes completas. √Č √ļtil, mas lembre-se de que ele lida com arquivos de texto sem formata√ß√£o e arquivos de programa√ß√£o, coisas como documentos do MS Word n√£o abrem corretamente! Se um arquivo pertence √† raiz, ele n√£o √© edit√°vel como um usu√°rio normal. O nano deve ser prefixado com sudo para salvar as altera√ß√Ķes. Caso contr√°rio, ele ser√° aberto no modo somente leitura.

nano newfile.whatever O Nano cria um novo arquivo com o nome especificado (newfile.whatever) e o abre para edição.

nano existing_file O Nano abre o arquivo existente para edição.

De dentro do nano

Salve o arquivo usando a combina√ß√£o de teclas ctrl + o e altere o nome ou pressione enter para manter o mesmo nome. Isso salvar√° o arquivo. Saia do nano usando a combina√ß√£o de teclas ctrl + x. Se voc√™ tiver altera√ß√Ķes n√£o salvas, ele perguntar√° se voc√™ deseja salvar.

mkdir

mkdir -> Criar diretórios

mkdir nome_da_pasta Cria a pasta com o nome especificado mkdir -p /caminho/para/pasta/nome Cria cada pasta conforme necessário. Para criar a pasta /home/justin/newfolder/2ndfolder, e somente /home/justin existe, o uso do mkdir -p tornará os diretórios newfolder e 2ndfolder.

ps

ps -> Listar processos

ps aux Listar todos os processos detalhadamente em execução no sistema, incluindo usuário, ID do processo (PID) e nome do processo. Usando isso, é possível visualizar sua lista de processos e, se necessário, eliminar processos desnecessários ou paralisados.

kill / killall / xkill

kill / killall / xkill -> Mate processos ofensivos.

kill

kill PID PID √© um n√ļmero que faz refer√™ncia ao processo. Deve-se obter o PID de um comando como ps aux. Se um processo se recusar a morrer, pode-se especificar, alternativamente, kill -9 PID, que deve encerrar o processo por qualquer meio, mesmo de maneira for√ßada ou se isso atrapalha o sistema.

killall

killall nomedoprograma Killall mata nomedoprograma todas as inst√Ęncias do referido programa. Se houver, por exemplo, 3 sess√Ķes do firefox abertas, o killall firefox far√° exatamente isso; mate todas as sess√Ķes do firefox. O kill iria simplesmente pegar o PID especificado do processo do firefox que voc√™ deseja matar e matar apenas esse.

xkill

O xkill √© uma maneira da GUI de clicar e matar o processo. Digitar xkill deve apresentar um √≠cone de caveira (ou um X em algumas vers√Ķes) e a pr√≥xima janela clicada ser√° eliminada.

Pipes ‚ÄĚ|‚ÄĚ

Pipes -> A coisa mais √ļtil que voc√™ aprender√° no *NIX (Unix, Linux‚Ķ). Redirecionando a sa√≠da de um programa para outra entrada.

Pipes s√£o representados pela ‚Äėbarra reta‚Äô, tamb√©m conhecida como ‚Äô| ‚Äė. √Č uma chave raramente usada no Windows, geralmente encontrada na tecla barra invertida. Eles s√£o usados ‚Äč‚Äčpara vincular comandos. As tubula√ß√Ķes pegam a sa√≠da de um comando e a encaminham para ser usada como entrada para um segundo comando encadeado. Consulte mais recursos online com informa√ß√Ķes sobre pipes e seu uso, pois existem volumes.

Quero lhe incentivar a pesquisar mais também!

> e >>

\ > e >> redirecionadores -> Enviar a saída para um arquivo em vez do terminal.

\ > √© usado para substituir o conte√ļdo dos arquivos existentes no momento e substitu√≠-lo pela sa√≠da do novo comando. \ >> √© usado para acrescentar informa√ß√Ķes aos arquivos existentes no momento. Isso √© √ļtil para o log. Exemplo: ps aux > processes.log Envia a sa√≠da de ps aux para o arquivo process.log para visualizar a sa√≠da do comando em um editor de texto e substitui o conte√ļdo atual do arquivo.

tee

tee -> Enviar saída para um arquivo e para o terminal

tee √© usado em conjunto com um ‚Äô| ‚Äėpara pegar a sa√≠da do comando e envi√°-la para outro lugar. Isso √© √ļtil se houver erros que voam pela tela antes de voc√™ poder l√™-los, dessa forma, o que quer que esteja na tela tamb√©m √© capturado em um arquivo. Exemplo: dmesg | tee boot.txt executaria o comando dmesg, que mostra as informa√ß√Ķes iniciais de inicializa√ß√£o e o ‚Äô | ‚Äėenvia a sa√≠da do dmesg para o tee , que faz seu trabalho enviando-o ao terminal e ao arquivo de log boot.txt.

Conclus√£o

O Bash do terminal do linux √© muito √ļtil para diversos recursos e basta voc√™ praticar cada um que com um tempo voc√™ estar√° habituado com ele.

Não deixe de conferir o meu outro post sobre Bash do linux Dicas Essencial Para Seu Terminal do Linux que é como uma parte 2 desse tutorial!

Para dicas r√°pidas acesse Dicas r√°pidas do terminal do linux

TutoriaisLinuxShellcommand promptTerminalFatos Shell Linux